Ar-condicionado pode ter consumo de energia até 40% menor, dependendo do modelo. Saiba como comprar!

e630e3_70d3aaf6ee0b41a9807512563fafba20.png_srz_685_197_85_22_0.50_1.20_0.00_png_srz

De acordo com a notícia publicada pelo O GLOBO (Fonte: Extra Online – 02.01.2016), no verão carioca, o ar-condicionado deixa de ser considerado luxo e se torna quase uma necessidade básica, porém, o uso pesa — e muito — na conta de luz. Se ficar ligado o dia todo, o aparelho será responsável por 40% a 50% do consumo total de energia de uma casa. Para quem não quer gastar tanto, existem modelos de ar-condicionado de diversas marcas que utilizam a tecnologia inverter, que promete consumir 40% menos energia elétrica em comparação aos modelos convencionais. A técnica detecta quando o ambiente precisa de menos refrigeração e altera a velocidade do compressor, sem desligá-lo.

A tecnologia pode gerar essa economia de até 40%, mas que isso depende do modelo adquirido pelo cliente conforme afirmação da empresa Light para O Globo . Estudos realizados pelos especialistas da concessionária afirmam que um ar-condicionado com tecnologia inverter é, pelo menos, 20% mais econômico que um aparelho tradicional “de janela”. Em relação ao ar Split, a economia é de 5% a 10%.

Os valores apresentados pela reportagem, devem ser analisados com cuidado pois a economia de até 40% depende de vários fatores. A RVT Energia recomenda levar em consideração antes de comprar um aparelho os seguintes fatores:

* o principal é “Quantas horas por dia o aparelho funciona?” Se a resposta for menos do que 6 horas, raramente a economia vai justificar o investimento em um aparelho com a tecnologia inverter.

* Outro fator a ser ponderado é o dimensionamento do equipamento, se o aparelho estiver subdimensionado (retira menos calor do ambiente do que o necessário) esta economia não será verificada.

* Quando a temperatura externa varia muito entre os períodos diurnos e noturnos a tecnologia inverter pode ser uma solução viável, mas a noite a temperatura continua alta a economia poderá não ser interessante.

* Para aparelhos de pequeno porte, menor que 18.000 Btus raramente o investimento vale a pena.

Para saber qual produto proporciona maior economia, a Light recomenda que o consumidor deve verificar o Selo Procel, que garante ser o mais eficiente do mercado. Caso não tenha, outra ferramenta que pode ser analisada é a Etiqueta de Conservação de Energia, que possui as letras que vão de A a G, sendo o A o mais econômico e o G menos econômico, além do item “Eficiência energética”, em que, quanto maior for o número, mais eficiente é o aparelho.

A empresa especializada em refrigeração ClimaRio confirmou para O Globo o aumento da procura por modelos com tecnologia inverter e ressalta outras qualidades: “Essa linha possui durabilidade maior, é ultra silenciosa, possui filtro antibactéria e usa o gás ecológico R-410A e não contém na composição o cloro, que é nocivo ao meio ambiente”, enumera Renato Gimenes, diretor executivo da ClimaRio.

 Saiba onde comprar:

Shoptime

Aparelho de 12 mil BTUs é vendido na loja virtual em até 10 parcelas sem juros. (R$ 2.199)

Americanas.com

O ar-condicionado de 11.500 BTUs é um dos destaques do site e pode ser parcelado em até 10 vezes sem juros. (R$ 2.099)

Submarino

A loja virtual vende um modelo 9 mil BTUs, cujo pagamento pode ser feito em até 10 vezes sem juros. (R$ 1.583)

ClimaRio

Na loja (www.climario.com.br), há modelos a partir de R$ 1.699 e o pagamento pode ser feito em até 10 vezes sem juros.

 

Dúvidas? Nós podemos de ajudar a tomar esta decisão, entre em CONTATO!

Pratique Eficiência Energética!

 

1 thought on “Ar-condicionado pode ter consumo de energia até 40% menor, dependendo do modelo. Saiba como comprar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *